Início

A LusoAmoreiras é constituída por uma equipa de profissionais com experiência de desenvolvimento de projetos de promoção imobiliária tradicional e de projetos de instalações sustentáveis.

Quem somos

A LusoAmoreiras, Sociedade Imobiliária, S.A. foi constituída em 2003 para se dedicar à atividade de compra e venda de imóveis e promoção imobiliária.

Nos primeiros anos de atividade investiu em imóveis na zona de Lisboa, investimentos que estiveram na base da firma que adoptou.

Após vários anos dedicados à promoção imobiliária de projetos de construção tradicional, a empresa expandiu o seu ramo de atuação para projetos de construção sustentáveis e para investimentos em imóveis aptos à exploração de atividades económicas sobretudo no setor primário – agricultura e aquicultura tecnologicamente avançadas com elevada incorporação de inovação e vocacionadas para a exportação.

Esta reorientação coincidiu com a alteração da estrutura acionista, com a transferência do controlo da sociedade, já em 2016, para o perímetro da sociedade Galtano Rodez, SGPS, S.A.

Imobiliária

Entre 2003 e 2015 a LusoAmoreiras, S.A. exerceu exclusivamente atividades imobiliárias.

Nesse âmbito a LusoAmoreiras, S.A. concentrou-se em projetos de reabilitação em zonas nobres da cidade de Lisboa, merecendo especial destaque um projeto de reabilitação de um conjunto de imóveis na Rua de Campo de Ourique/Amoreiras e um projeto de reabilitação de um prédio de habitação na Avenida Visconde de Valmor.

Estes projectos, que contribuem para a valorização das áreas envolventes, assentam numa gestão cuidada do projecto de arquitectura, integrando o traço original do imóvel mas conferindo-lhe maior funcionalidade e modernidade.

Após promoção pela LusoAmoreiras, ambos os projetos foram vendidospara execução por outras entidades. O projeto na Avenida Visconde de Valmor encontra-se em fase final de conclusão. O projeto na Rua de Campo de Ourique aguarda o início dos trabalhos.

A partir de 2016, a empresa decidiu diversificar os seus investimentos em imóveis, dedicando a sua atenção a imóveis destinados atividades económicas, sobretudo no sector primário (terrenos agrícolas e ou destinados a aquacultura).

Algatec Eco Business Park

Na segunda metade de 2016, a LusoAmoreiras, S.A. acordou investir na aquisição de um imóvel com a área total de 14.2 ha, no concelho de Vila Franca de Xira, para o desenvolvimento de um projeto de economia sustentável: o ALGATEC ECO BUSINESS PARK.

ALGATEC ECO BUSINESS PARK, promovido pelo grupo A4F e pela Solvay, prevê a instalação de unidades de produção de microalgas e de aquacultura nos terrenos das reservas de salmoura, assim como o desenvolvimento de um cluster, integrando unidades de produção de microalgas entre si e com várias unidades industriais presentes no concelho de Vila Franca de Xira.

A combinação do interesse estratégico do Grupo Galtano Rodez e a disponibilidade de terrenos (com dimensão adequada e localização privilegiada para a utilização pretendida), com a capacidade científica, tecnológica e operacional da A4F Algae for Future SGPS, S.A. e dos restantes membros do consórcio BIOFAT, surgiu uma oportunidade única de localizar em Portugal uma unidade de ponta, altamente inovadora, de produção de biomassa de microalgas e produtos de alto valor acrescentado (EPA, proteína) para incorporação em rações para aquacultura e substituição de óleo e farinha de peixe.

O cultivo de microalgas é uma atividade visualmente apelativa, insonora, não poluente, com visual clean, azul (da água) e verde (das microalgas), e conferirá estas caraterísticas ao local, assim como pretende reduzir a pegada ecológica das indústrias locais, ao consumir dióxido de carbono e incorporar nutrientes presentes em águas residuais, no seu processo. Este projeto envolve ainda a valorização das atividades económicas com ligação ao mar, o que corresponde a um desígnio estratégico nacional.

Este projeto de investimento de produção de microalgas tem como modelo tecnológico e modelo de negócio o Business Plan desenvolvido no âmbito do projeto BIOFAT (http://www.biofat-project.eu/).

O projeto pressupõe um investimento global de cerca de 16.5 milhões de euros, a executar ao longo de três anos, e gerará mais de 100 postos de trabalho diretos e indiretos.

Uma vez em plena operação, as unidades de produção deverão gerar um volume de negócios superior a 8 milhões de euros por ano, na sua quase totalidade destinado a exportação.